Notícias Câmara

Representantes da Escola Estadual Irene Stonoga, instituição que adotou o modelo de escola cívico-militar desde 2019, estiveram presentes em sessão ordinária desta quinta-feira (02), no Legislativo de Chapecó. A ideia foi apresentar os primeiros resultados desse sistema educacional aos vereadores do município. A iniciativa foi do vereador Fernando Cordeiro (PSC), que teve requerimento aprovado.

Participaram do encontro, a diretora da escola, Carla de Melo, o Coronel da Reserva da PM, Osvaldir Kassburg, que é oficial de gestão escolar e o monitor Lauri Guisel. No Brasil, há 54 escolas cívico-militares e Chapecó é uma das contempladas. O projeto é do Governo Federal e oferecido aos estados interessados.

Carla de Melo, explica que a Escola Irene Stonoga foi convidada a aderir ao modelo cívico-militar em 2019 e que a comunidade escolar deu o seu parecer. “Fizemos uma assembleia e 95% das pessoas presentes aceitaram a mudança”. Os critérios para implantação do modelo é de atender alunos do sexto ano ao terceiro ano do ensino médio, que tenham entre 500 e 1000 alunos e que esteja localizada em área de vulnerabilidade social.

Osvaldir Kassburg, disse que os resultados da implantação da escola cívico-militar são muito satisfatórios. “Houve diminuição de casos de indisciplina, redução da evasão escolar e melhora no comportamento dos alunos perante professores e funcionários do estabelecimento”, relatou.

A Escola Irene Stononga e seu modelo cívico-militar é mantida com recursos do Governo do Estado, mas ainda o processo espera por uma reestruturação. “Os novos uniformes, os materiais pedagógicos e as construções dos laboratórios ainda estão no planejamento e ainda não se tornaram realidade”, destacou a diretora.