Notícias Câmara

Com a participação do secretário estadual de Saúde, André Motta Ribeiro, a Câmara de Vereadores de Chapecó, promoveu Reunião de Trabalho, para discutir a implantação de um Centro de Reabilitação Físico e Intelectual no município. A proposição foi da vereadora Marcilei Vignatti (PSB).

O pedido é para que Chapecó e região contem com um centro especializado em reabilitação que ofereça em só lugar serviços multiprofissionais composto por fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas, ocupacionais, psicólogos habilitados e capazes de atender essa demanda. As regiões Sul, Vale do Itajaí e Grande Florianópolis já oferecem esses serviços.

Além de representantes das secretarias municipal e estadual da saúde, a reunião teve a presença da direção do Hospital Regional do Oeste, médicos ligados a neurocirurgia e neuropediatria, Associação Comercial e Industrial de Chapecó e Sociedades Amigos de Chapecó.

O neurologista Mateus Santos, disse que muitas vezes, as famílias das pessoas que precisam buscar reabilitação acabam desistindo do tratamento pela dificuldade de locomoção para outras regiões e pelo empenho em encontrar profissionais habilitados.

O presidente da Associação Hospitalar Lenoir Vargas Ferreira (HRO), Reinaldo Lopes, demonstrou preocupação no local em que seria instalado o centro. “No Hospital Regional não há mais espaço”, destacou. Já o secretário de Saúde de Chapecó, Luiz Carlos Balsan, alertou para que o custo de manutenção não seja apenas de responsabilidade do município.

O secretário estadual de saúde, André Motta Ribeiro, foi questionado pelos vereadores sobre a viabilidade em instalar o centro de reabilitação em Chapecó. Segundo ele, é necessário que o município e as demais cidades da região promovam ações rapidamente e façam um estudo sobre as ofertas e as demandas. “A região precisa assumir seu papel e se organizar. Depois disso, o estado será parceiro em dar prosseguimento no acesso aos serviços”, destacou.

A vereadora Marcilei, avisou que a pauta sobre a instalação do centro de reabilitação se tornou oficial e comunicada para a Secretaria Estadual da Saúde. “Vamos continuar promovendo reuniões com as entidades de Chapecó para que os próximos passos sejam assumidos pelo Governo do Estado”, concluiu.