Notícias Câmara

Na tarde desta quarta-feira (16), estiveram presentes na Câmara Municipal de Chapecó, o Gerente do Instituto Geral de Perícias de Chapecó (IGP), Jean Osnildo dos Santos e o auxiliar criminalístico, Dianei Fortti, atendendo requerimento da vereadora Marcieli Vignatti (PT). Na sessão, foram apresentadas as ações realizadas e as dificuldades diárias enfrentadas pelo órgão.

Atualmente, o IGP atende 22 municípios na região oeste de Santa Catarina e é subdivido no Instituto Médico Legal, Instituto de Criminalística, Instituto de Identificação e o Instituto de Análises Forensis. As principais ações realizadas são exame de corpo de delito, exames cadavéricos, exame de DNA e a emissão da Carteira de Identidade.

De acordo com o gerente, em 2019 o IGP realizou 443 necrópsias, mais de 4 mil exames de corpo de delito e foram confeccionadas 57 mil Carteiras de Identidade. No momento, o efetivo atua com 64% de deficit no número de servidores. Em Chapecó, são 4 peritos criminais responsáveis por atender as ocorrências de todos os municípios da localidade. Número totaliza um perito para cada 88 mil habitantes, quando o indicado é 1 para cada 10 mil. São dez anos sem novas contratações de servidores.

Desde 1987 o Instituto Médico Legal (IML) utiliza o espaço do Hospital Regional do Oste para realização de necrópsias e perícias. Em 2011, foi apresentado projeto para construção de um novo complexo para o IGP, mas que ficou parado por falta de verba. Os representantes do instituto também fizeram um pedido para que o Poder Legislativo auxilie na retomada deste projeto e na realização de concurso público para contratação de novos servidores.

Segundo Dianei, a falta de servidores ocasiona em atrasos nos atendimentos, o que pode ser melhorado com maior recurso de pessoal. “É da prova que nasce a verdade, é a partir de uma perícia bem feita que se absolve um inocente ou se condena um culpado. Precisamos de atenção na carreira dos servidores do IGP”, destaca o auxiliar criminalístico.