Notícia destaque

Uma Nota de Repúdio da Frente pela Educação nos Espaços de Privação de Liberdade, teve apoio dos vereadores de Chapecó. A nota se refere a um Ofício Circular da Secretaria de Estado da Educação, que trata da demissão de mais de 300 profissionais da educação, que atuam em Centros de Educação de Jovens e Adultos (Cejas) e unidades prisionais de Santa Catarina. Em função disso, os vereadores Cleber Ceccon (PT), Cleiton Fossá (MDB) e a vereadora Marcilei Vignatti (PSB), apresentaram moções de apelo ao Governo do Estado, para que esses profissionais não sejam demitidos. Os documentos foram aprovados por todos os vereadores, em sessão ordinária, na Câmara de Vereadores de Chapecó.

A vereadora Marcilei Vignatti destacou os reflexos econômicos e sociais da demissão de mais de 300 profissionais da educação. Já o vereador Cleber Ceccon, lembrou na moção de apelo, que nenhum professor admitido em caráter temporário poderá ser dispensado no período de vigência do Decreto Legislativo do Estado de Santa Catarina nº 18.332, de 20 de março de 2020, que fez valer o Estado de Calamidade Pública no estado. E o vereador Cleiton Fossá, afirma que não se desconhece a necessidade de restrição de serviços públicos e que diversas modalidades podem ser ofertados de maneira adaptada, respeitando os protocolos sanitários, mas garantindo os acessos.

As três moções de apelo já aprovadas, seguem agora como ofício ao governador de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva (PSL) e ao secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni.