Notícia destaque

Os alunos do 8º e 9º ano da E.B.M Olímpio Corrêa Figueiro, do bairro Belvedere, ampliaram as reflexões sobre o enfrentamento à violência contra a mulher, eles deixaram o espaço escolar para debater esse tema na Câmara de Vereadores de Chapecó, na manhã desta quinta-feira (7). A programação integra o projeto de ações socioeducativas do Legislativo, que trabalha a prevenção e conscientização das formas de violência contra a mulher. O projeto é de autoria da vereadora Marcilei Vignatti, aprovado em 2017.

Neste mês estão sendo realizadas atividades com crianças e adolescentes das escolas de Chapecó, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e escolas privadas do município. Com a ação desta quinta-feira, mais de 660 crianças já foram atendidas pelo projeto. A equipe que realiza as atividades é formada por psicólogas, pedagogas e assistentes sociais.

Com músicas, vídeos e uma dinâmica de perguntas, os alunos são estimulados a refletirem sobre o que gera e como combater a violência. A atividade também contou com a participação da estudante Sofia Camara, 9 anos, que fez uma abordagem sobre o tema.

A vereadora Marcilei Vignatti, lembrou que Chapecó é a terceira cidade mais violenta para mulheres em Santa Catarina. “O enfrentamento a violência é uma responsabilidade de toda a sociedade, por isso estamos fazendo reflexões. Nós discutimos com muita responsabilidade as formas e como combater a violência, aonde fazer as denúncias e os comportamentos necessários para ajudar os familiares que estão em situação de violência”, explica a vereadora.

Os estudantes participaram da atividade acompanhados por cinco professores. A professora de História e Direitos Humanos, Maria Claudia Martins, explica que o tema vem sendo trabalhado durante o ano. “Ter esse tipo de projeto na Câmara não só traz a visão dos próprios alunos da realidade em que vivem na sua escola, bairro e família, como permite trazer o tema para um debate mais amplo. A voz da criança e adolescente muitas vezes é tida como voz desautorizada. Eles tem muito a dizer e a contribuir”, destaca a professora.

O estudante Luiz Ricardo Dal Santo, da 8ª série, gostou da atividade. “É importante dar voz aos alunos, sempre vai ter alguém que vai ter uma boa ideia para resolver esses problemas. Em aula debatemos sobre a violência contra a mulher, trazendo uma visão expandida que o problema está na sociedade e se não fizermos nada ele não vai simplesmente sumir”, destaca o aluno.

A próxima atividade socioeducativa do projeto está marcada para o 21 de novembro. As ações são realizadas a partir do que está previsto no projeto pedagógico elaborado pelo mandato da vereadora em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação.