Notícia destaque

Este ano, as sessões ordinárias da Câmara de Vereadores de Chapecó, entraram para a história. Pela primeira vez, sessões virtuais foram realizadas, em função das exigências impostas por decretos estaduais e municipais de enfrentamento ao novo coronavírus. No primeiro semestre deste ano, foram realizadas 27 sessões on-line e 23 presenciais. Neste período, 750 proposições foram aprovadas pelos 21 vereadores do município.

São consideradas proposições, matérias que são apresentadas em plenário pelos parlamentares, ou seja, indicações, requerimentos e moções. “São pedidos de melhorias em saúde, educação e infraestrutura. Também servem como solicitação de informações ao poder público e ações que reconhecem e prestam homenagens”, explica o presidente da Câmara, Ildo Antonini (DEM).

Durante as 50 primeiras sessões do ano (fevereiro a junho), também foram aprovados 35 projetos de lei. Vinte de autoria dos vereadores e outros 15 de origem do executivo. “Todas as ações realizadas pela Prefeitura de Chapecó, necessitam passar pela análise e votação dos vereadores. As obras iniciadas e que ainda serão anunciadas saem do papel, graças às ações do Poder Legislativo”, afirma o presidente.

Antonini lembra de alguns projetos que autorizam o Município a contrair empréstimos e que permitem a retomada do desenvolvimento econômico em época de pandemia. “A duplicação da avenida Leopoldo Sander, a construção do Contorno Viário Extremo Oeste e a Praça da Família são apenas algumas obras que se tornarão realidade por intermédio dos vereadores”.

No mês de julho, as sessões são suspensas por causa do recesso e serão retomadas a partir do dia três de agosto. Mesmo assim, a Câmara de Vereadores permanece aberta e o atendimento nos gabinetes dos vereadores é feito normalmente.